quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Educação de Supermercado II

  Por Antônio Carlos Vieira

          Fazendo a comparação entre o modelo de educação atual e venda de mercadoria,, na primeira parte, vimos algumas semelhanças nestas comparações, tais como: as chamadas promoções com aplicações de pacotes (clique aqui), as chamadas Avaliações que na realidade são Normas de Procedimento de como se deve trabalhar e ampliação da carga horária (os supermercados ampliaram o horário de trabalho abrindo aos domingos). Mas, ainda existem muitas coisas sendo feita fora das salas de aulas que influenciam ou mudam a maneira dos professores trabalhar que são muitos semelhantes a procedimentos utilizados nos Supermercados. Vamos analisar algumas:

Pesquisa de Satisfação do Consumidor


          Para quem costuma assisti esses telejornais já está acostumado a ouvir pesquisas feitas pelo IBGE medindo a satisfação do cliente na compra de produtos e sempre colocando em destaque quais os melhores ou piores. Qual a diferença das avaliações escolares que ficam perguntando aos alunos se as aulas são ótimas, boa, regular, ruim ou péssimas. Essas avaliações depois geram gráficos para mostrarem o grau de satisfação e o que os alunos estão pensando sobre a Comunidade Escolar.

Estatísticas de venda de produtos

          No inicio de cada ano é comum sair nos jornais as Estatísticas de venda do ano anterior, principalmente do período natalino. Inclusive as notícias, geralmente, é dada assim: “no ano passado o produto mais consumido foi o produto "x” ou “os produtos que mais cresceram no gosto do consumidor foram tais produtos". No final de cada ano letivo é comum as escolar exibirem Estatísticas mostrando quantos alunos foram aprovados no vestibular "X" e em qual curso. É importante dizer qual o curso para mostrar que os alunos foram capaz de serem aprovados nos mais concorridos. Tanto nas Estatísticas dos Supermercados como os Estatísticas das Escolas a ideia é mostrar, influenciar no consumo de tal produto e no caso das escola influenciar os pais a matricularem os filhos nas escolas bem colocadas nestas estatísticas.

         Tem o também o IDEB e a Prova Brasil que são avaliações dirigidas aos alunos que no final são gerando um "ranque" das escolas que tiveram melhores notas e se coloca para o público as melhores (que são o que interessa aos donos das escolas) e as piores (que são de interesses dos políticos). Entre os donos das escolas pode-se colocar o Estado que, por interesse do governante de plantão, querem mostrar que as escolas estão boas e  os políticos da oposição se utilização da classificação das piores para tentar desqualificar a situação.

Quem avalia os supermercados e as escolas

          Todas essas essas avaliações, geralmente, são feita por pessoas que estão fora da realidade do local onde são realizadas essas estatísticas. Como são realizadas por pessoas que estão longe da realidade dos avaliados (professores e alunos) é de se notar que estas instituições para conseguirem uma boa avaliação tem que obedecer as normas de uma realidade distante que nem sempre serve , ou seja, somos obrigados a ensinar e os alunos a aprenderem e se comportarem de acordo com interesse distante de nossa região. Logo logo, as escolas irão funcionar como os supermercados, terão um padrão de organização e funcionamento dirigidas e impostas por pessoas de fora para que se possa conseguir se sair bem nestas avaliações e estatísticas!!!

Texto original: DEBATENDO A EDUCAÇÃO

Nenhum comentário:

Postar um comentário