segunda-feira, 6 de julho de 2020

Como usar GOOGLE MEET – Videoconferência, Reuniões e Aulas. Passo a Passo

Google Classroom - Tutorial básico para Professores

sexta-feira, 3 de julho de 2020

INTERDISCIPLINARIDADE !!!!

Por: Antônio Carlos Vieira



Para atender necessidades do ENEM, segundo informações do MEC, as disciplinas, do chamado ensino médio, irão sofrer nova arrumação. As treze disciplinas que fazem parte da grade curricular irão se fundirem em apenas quatro. A figura abaixo retrata bem o que está se discutindo: 

Quando comecei a lecionar (ano de 1988) lembro-me muito bem que os professores eram contratados para lesionarem 125 horas mensais e em caso de necessidade o contrato era estendido pra 200 horas mensais. Mas, a partir do ano de 2000, todos os professores passaram a ser contratados para 200 horas mensais e portanto ficando inexistente o contrato para 125 horas a partir do referido ano.

terça-feira, 30 de junho de 2020

'Geração do diploma' lota faculdades, mas decepciona empresários

Ruth Costas 

Da BBC Brasil em São Paulo 
Atualizado em 9 de outubro, 2013 - 17:33 (Brasília) 20:33 GMT 


Número de instituições de ensino
 superior mais que dobrou desde 2001
Nunca tantos brasileiros chegaram às salas de aula das universidades, fizeram pós-graduação ou MBAs. Mas, ao mesmo tempo, não só as empresas reclamam da oferta e qualidade da mão-de-obra no país como os índices de produtividade do trabalhador custam a aumentar.

Na última década, o número de matrículas no ensino superior no Brasil dobrou, embora ainda fique bem aquém dos níveis dos países desenvolvidos e alguns emergentes. Só entre 2011 e 2012, por exemplo, 867 mil brasileiros receberam um diploma, segundo a mais recente Pesquisa Nacional de Domicílio (Pnad) do IBGE.

domingo, 21 de junho de 2020

Ideia de bônus para professores estimula corrupção nas escolas, diz educadora dos EUA

A bonificação, além de não ter melhorado a qualidade da educação nas escolas periféricas dos EUA, estimulou a corrupção entre gestores, professores e estudantes, especialmente no tocante ao desempenho forjado nos testes estudantis

Da Redação

Era só o que faltava! Segundo experiência da gestora e educadora norte-americana Diana Ravicht, a proposta do golpista Michel Temer (PMDB) de criar um 'bônus salarial' para os professores da educação básica estimula a corrupção nas escolas. Para ter direito ao tal 'bônus', caso aprovado, dentre outras exigências do MEC os educadores terão que melhorar a nota dos alunos.

A Dra. Diane é mentora de projeto de igual teor em seu país. E o que ficou comprovado é que 'a bonificação, além de não ter melhorado a qualidade da educação nas escolas periféricas dos EUA, estimulou a corrupção entre gestores, professores e estudantes, especialmente no tocante ao desempenho forjado nos testes estudantis'. "É um projeto falido", destacou a educadora, que produziu a obra: "Vida e morte do grande sistema escolar americano".

Temer e seu ministério, ao que parece, são mesmo vocacionados para a corrupção. O que fazer com eles?

Texto replicado do site: ERA SÓ O QUE FALTAVA

quarta-feira, 17 de junho de 2020

Infantolatria: as consequências de deixar a criança ser o centro da família

Além das complicações na vida dos filhos, como dificuldade de socialização e insegurança, deixar a criança comandar a dinâmica familiar pode prejudicar – e muito – o casal
As atividades da família são definidas em função dos filhos, assim como o cardápio de qualquer refeição. As músicas ouvidas no carro e os programas assistidos na televisão precisam acompanhar o gosto dos pequenos, nunca dos adultos. Em resumo, são as crianças que comandam o que acontece e o que deixa de acontecer em casa. Quando isso acontece e elas já têm mais de dois anos de idade, é hora de acender uma luz de alerta. Eis aí um caso de infantolatria.
“O processo de mudança nos conceitos de família iniciado no século 18 por Jean-Jacques Rousseau [filósofo suíço, um dos principais nomes do Iluminismo] chegou ao século 20 com a ‘religião da maternidade’, em que o bebê é um deus e a mãe, uma santa. Instituiu-se o que é uma boa mãe sob a crença de que ela é responsável e culpada por tudo que acontece na vida do filho, tudo que ele faz e fará. Muitos afirmam que a mulher venceu, pois emancipou-se e foi para o mercado de trabalho, mas não: é a criança que entra no século 21 como a vitoriosa. Esta é a semente da infantolatria”, explica a psicanalista Marcia Neder, pesquisadora do Núcleo de Pesquisa de Psicanálise e Educação da Universidade de São Paulo (Nuppe-USP) e autora do livro “Déspotas Mirins – O Poder nas Novas Famílias”, da editora Zagodoni.

sexta-feira, 12 de junho de 2020

CRIMINALIZANDO OS PROFESSORES, COMO?


Todas vez que acontece greves dos professores, escuto algumas manifestações, de alguns cidadãos, que não vejo ninguém respondendo ou mesmo questionando as declarações dessas pessoas. As vezes , essas declarações são feitas nas redes sociais (internet). com frases que podemos citar: "se estão achando ruim por que não pedem demissão" e "vão trabalhar vagabundo".

Essas manifestações, em desaprovação as greves dos professores (acontecem com outras categorias), é em decorrência da criminalização das manifestações populares pelos meios de comunicação. É claro que você pode questionar: mas, eu nunca vi nenhum meio de comunicação dar alguma nota contra as greves do professores? No caso dos professores, essa criminalização não é tão explicita e ocorre por omissão de algumas informações por parte da imprensa e até do governo.

Primeira frase:

 "se estão achando ruim, por que não pedem demissão??" (no setor público a demissão se chama exoneração).

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Sempre a mesma coisa, a mesma merda, sempre.

  

Em meio à polêmica levantada pelo ex-presidente Lula sobre os manifestos contra Bolsonaro, o ex-governador do Paraná, Roberto Requião, pergunta: a que democracia se referem? “A democracia do mercado? A democracia da prevalência do capital financeiro sobre os interesses nacionais e populares, sobre a produção, o emprego, o salário, os direitos trabalhistas e a previdência social?”
Não me desculpo pela palavra pouco elegante no título. Não é a quarentena que me irrita. É a peculiaríssima propensão dos brasileiros – especialmente os que habitam o espaço politico à esquerda – de recaírem sempre, e sempre na mesma esparrela que me tira do sério.