quarta-feira, 27 de maio de 2009

O PÕEFOGO

Esta semana estava dando aula e um dos meus alunos começou a falar com o sotaque de paulista e me lembrei de quando fui fazer um curso em São Paulo (capital). Quando da parada para o lanche (Cofee Break) e em uma das conversas um dos participantes (que não estava no roda da conversa) me interpelou falando alto e com uma certa arrogância: "NÃO É BOTE NÃO, A PALAVRA CORRETA É PÕE, PÕE ANALFABETO". Foi que a partir deste incidente percebi que existia uma separação nítida entre os participantes do Nordeste e do Sul maravilha.
Diante disso, peço aos cariocas, torcedores do BOTAFOGO, que alterem o nome do time pra não deixar os brasileiros do Sul Maravilha irritados. De onde os cariocas tiraram a idéia de colocar o nome do time com este erro absurdo. Por isso corrigam imediatamente: é PÕEFOGO.
Aproveitando, corrigam também o Hino do Clube que deverá ficar assim: Põe Fogo, Põe Fogo campeão....

OBSERVAÇÃO: O nome Botafogo foi primeiramente usado para apelido do maior navio de guerra da marinha portuguesa (na época o maior do mundo) e passou a ter esse apelido pelo poder de fogo de sua artilharia (300 canhões).  O responsável pela artilharia do navio passou a adotar o nome do navio no próprio sobrenome. Depois veio morar  em Copacabana no Rio de Janeiro. O bairro onde residiu recebeu o nome de Botafogo e depois foi criado o time de Botafogo de Futebol Regatas.

Informação conseguida neste endereço:
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Botafogo_%28gale%C3%A3o%29


4 comentários:

  1. Cepoada a palavra correta é CORRIGAM derivada do verbo CORRIGIR.

    ResponderExcluir
  2. Professor, li um comentário seu no blog do Edu que me deixou entristecido: a ampla campanha dos meios de comunicação de ajuda aos catarinenses, vítimas das enchentes, não se repete com os irmãos nordestinos. Isso é verdade? Caso seja, coloque matéria sobre o assunto para que possamos reproduzi-la no Estado de São Paulo, local onde sobrevivem muitos nordestinos.
    Um abraço
    Marcos Simões

    ResponderExcluir
  3. Marcos, infelizmente é a verdade. Vou elaborar um texto sobre essas campanhas (fique aguardando).

    ResponderExcluir