domingo, 29 de julho de 2012

De onde vem o complexo de vira lata!!!


Sempre que analiso os nossos livros escolares, noticiários e documentários (imprensa falada, visual e escrita) sobre o nosso continente americano, vejo que o interesse maior é quase que todo voltado para mostrar as qualidades dos Estados Unidos e a visão que eles possuem do mundo. O mesmo vale em relação aos países Europeus e agora um pouco os países ligados , pela globalizaçao, a economia destes (Japão, as dus coreias por incrível que pareça a China). E como ficamos em relação a nossa história, cultura e economia dos povos que formaram e formam toda a nosso continente americano.

É preciso despertar nos estudante, o interesse pela América – continente esquecido e não estudado suficientemente nos programas escolares, os quais têm preferido abordar os antigos centros de civilização (Egito, Mesopotâmia, Grécia, Roma e outros), não considerando que os povos pré-colombianos também construíram brilhantes civilizações, mas que foram destruídas, escravizadas e oprimidas em grande parte pelos conquistadores e ainda, infelizmente, continuam sendo pelos “novos conquistadores”.

Observa-se também, na vida escolar, o estudo superficial e ingênuo da geografia. A América do Norte e os países desenvolvidos da Europa são estudados de forma a despertar no aluno o sentimento de “inveja” quanto ao desenvolvimento por eles alcançado ou pelos seus modelos de vida sem contudo proceder-se a uma análise objetiva dos meios utilizados para tal desenvolvimento, niglegenciando-se, inclusive, o estudo do processo processo histórico. Esse comportamento tem sua origem na própria dependência cultural que caracteriza os povos subdesenvolvidos. Tal dependência nos conduz a pensar e interpretar os fatos como eles, ou, em outras palavras, nos que somos, ignorando-se que suas grandezas são também nossas (da América Latina, da África e de grande parte dos países asiáticos), pois eles se desenvolveram-se, entre outros fatores, também à custas do que fizeram e fazem com os povos subdesenvolvidos.

Acreditamos ser necessário, para o estudante do 2º grau, entrar em contato com essa realidade. Sabemos que depois que ele ingressa na universidade, dependendo do curso que escolher, raramente terá oportunidade de estudar a realidade social. Assim sendo, poderá ser um excelente profissional (médico, engenheiro, químico, físico, etc), ams um péssimo cidadão, na medida em que continuar ignorando os problemas da sociedade, a qual ele pertence e sempre pertencerá, pois ele é, antes de tudo,um ser social.

Texto adaptado do livro : Geografia da América de Melhem Adas (Editora Moderna) e editado (atualizado) por Antônio Carlos Vieira.

Textos relacionados:
Ah, isso só no Brasil mesmo...
O Brasil não deu certo?

5 comentários:

  1. Creio que a maior barreira nesse processo de ocnhecimento ,não seria exatamente a falta de interesse dos orientadores , dos dentedores do conhecimento em repassar de forma clara ,levando em conta todo contexto histórico ,cultural, social , econômico, destes paises ou continentes e sim , uma total falta de conhecimento no que diz respeito a esse assunto//

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem muitos livros com explicações sobre como vivia os nosso índios e de como foi colonizado a nossa América. O problema é justamente a não difusão destes conhecimentos. e meso que faltasse tais conhecimentos, por que não se pesquisa e estuda o que somos e por que somos o que somos????

      Excluir
    2. O texto é interessante e sua resposta também, a questão é que no cenário geral o escopo é liderança sobre pessoas, se fala muito em abertura da informação, acesso a todos, mas do contrário que temos visto a maioria está mais voltado para entretenimento, a questão quanto o que somos e o porquê de sermos o que somos é supérfluo para os padrãos da sociedade hoje, infelizmente...

      Excluir
    3. O estudo das antigas civilizações divulgadas pelos europeus, nossa mídia e a maioria dos nosso livros didáticos também pode ser considerado supérfluo.Ainda hoje se estuda Egito, Mesopotâmia, etc. e as nossas antigas civilizações são tão antigas quantos e nunca aparecem nesses livros de história do segundo grau e raramente aparecem nos grande meios de comunicação!!!!! Sem falar que sequer falar como realmente e quais os reais interesses de como fomos colonizados e como ainda somos controlados e explorados!!!!!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem? Gostei de ler o artigo sobre Londres.. Realmente os horários da cidade devem ser respeitados.. Portanto, os turistas devem se adequar aos costumes locais. Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir