sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

ELES NÃO VALORIZAM A EDUCAÇÃO

Ouvem-se muito os professores e sindicato cobrando mais valorização com a educação. Inclusive uma das premissas, utilizadas, são os baixos salários (que são). E os professores, principalmente os ligados ao sindicato, fazem aqueles pronunciamento detalhando as péssimas condições físicas e estruturais das nossas escolas. Só que não é preciso fazer grande detalhe, das nossas escolas, para saber que a nossa educação é valorizada. Primeiro devemos observar como a população faz uso dessas escolas em termos de acesso e uso. Se observarmos, quando as escolas são entregues a população e entram em funcionamento (às vezes são reformas) estão em boas de uso. Depois de um ano, a grande maioria, as escolas se encontram depredadas pelos próprios alunos e moradores das adjacências da escola. Em alguns casos são furtadas equipamentos e tudo mais. Em algumas localidades se roubam até telhados das escolas. É bem provável que esses furtadores apareçam depois cobrando melhores escolas para seus filhos.

Só que para sabermos se a educação é ou não valorizada não é preciso usar estes argumentos citados acima. Basta olharmos como as pessoas, que administram e trabalham a escola, valorizam essas mesmas escolas. Para isso vão algumas perguntas: a) quantos prefeitos e governadores têm seus filhos estudando nas escolas? Eles representam o Poder Executivo e são os responsáveis pela parte
administrativa dessas escolas.
b) quantos deputados (estaduais e federais). Senadores e vereadores têm seus filhos nas escolas? (Estes são responsáveis pela criação de projetos para a educação e devem observar como o poder executivo está administrando a coisa pública
c) quantos juízes, procuradores e demais funcionários do Poder Judiciário têm seus filhos trabalhando nessas escolas públicas?. Eles são os responsáveis de cobrarem do poder executivo legislativo que se cumpram as leis responsáveis para que essas escolas funcionem bem.
d) quantos professores, e funcionários que trabalham na Rede Pública (estadual, municipal e federal), que possuem condições financeiras, colocam seus filhos para estudarem nessas escolas que eles mesmos trabalham e lecionam. É claro que existem professores que moram em cidades que a única opção é a escola pública. Será que os Secretários de Educação e chefes de Departamento (municipais e estaduais) têm seus filhos estudando na Rede Pública?

O mais interessante é que recentemente o Sindicato dos Professores da Rede Pública do Estado mostrou um resultado de uma pesquisa dando nota 4,6 a educação oferecida pelo estado. Em minha opinião é meio estranho! Os professores também não parte responsável pela qualidade do ensino?

A SEED (SE) também mostrou uma pesquisa mostrando um grau de satisfação de 64% de satisfação boa por parte dos alunos em relação escolas. Será que eles mostraram aos alunos o que seria uma boa escola?

Se essas pessoas achassem que a Educação da Escola Pública é de qualidade elas colocariam seus filhos para estudarem nessas escolas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário